Vórtice

ANIMUS

Você, vórtice em mim

Espalha minhas cores fortes

Em promessas nunca feitas, já consentidas

 

Você, vórtice de hélice

Na potência da decolagem

Lança minhas cores mais fortes à sorte

Caos desdenhado

Desenhado em espiral

 

Você, vórtice em mim

Espira pistas sutis ultra entendidas

Plano de um voo já sonhado

Inconsumado, sempre curtido

 

Vórtice em mim

Potência pra decolagem

Mais forte, imprimo

Minhas cores nas tuas

 

Embarco na promessa

Escancarada, nunca encarada

De um velho voo já traçado

Prestes a ser vivido?

Medo e fascínio turbilham em mim

 

Reúno cores, prenso pistas, lanço a sorte

Decolo pelo vão da morte

 

Pairo plena

Plano em mim

Densa e leve

Danço enfim

 

Acrescida, cresço

Ao me re-conhecer

Te re-conheço

(livre e justa, toda beleza se justifica

justa, ajusta e fica)

 

Progredida, regresso

E que progresso

Já não cabe procurar

Em você, o vórtice em mim

Paula Diniz

anima e animus, lyra alanquia

Siga-nos no Facebook!